Associação Nacional de Defesa dos Agricultores, Pecuaristas e Produtores da Terra

Bolsonaro encaminha o fim do passivo do FUNRURAL: o problema é convencer o centrão

Bolsonaro encaminha o fim do passivo do FUNRURAL: o problema é convencer o centrão

Por Antonio Pinho

O deputado federal Jerônimo Goergen informou que foi procurado pela equipe do governo do presidente Bolsonaro para dar encaminhamento ao fim do passivo do Funrural, que foi uma das grandes promessas de campanha de Bolsonaro para o agro.

Bolsonaro determinou que Paulo Guedes, ministro da economia, cuide dos encaminhamentos necessários para a solução deste problema multibilionário, que tem causado muita preocupação a grandes setores do agro nos últimos 2 anos. Goergen foi chamado esta semana à Secretaria de Política Econômica e do Agronegócio, do Ministério da Economia, pelo subsecretário Rogério Boueri Miranda, para tratar dos novos rumos que serão dados à questão do Funrural. Miranda confirmou a Goergen que na terça-feira da próxima semana entregará o texto substitutivo ao PL 9252 que trata justamente do fim do passivo do Funrural. Desta forma, de acordo do o deputado, há a reafirmação do compromisso do governo em solucionar este problema no sentido de evitar que os produtores rurais paguem este injusto passivo criado pelo STF.

O grande desafio de Bolsonaro será convencer o centrão da necessidade de se aprovar o fim do passivo do Funrural. Rodrigo Maia declarou ser contra o fim da cobrança do passivo durante sua fala no Fórum BandNews, ocorrido neste mês. Para Maia, “tem uma agenda no parlamento para o agronegócio que é muito ruim: anistia do Funrural, que dá 30 bilhões de prejuízo.

Temos assim mais um conflito entre as agendas do governo Bolsonaro, de um lado, e a agenda do centão, de outro, com Maia liderando este grupo. Maia entende que cobrar o injusto e ilegal passivo do Funrural é “prejuízo”. Maior prejuízo é sufocar o setor produtivo com uma carga tributária insana, que inviabiliza o investimento e a criação de empregos, algo tão necessário no atual contexto de 13 milhões de desempregados.