Associação Nacional de Defesa dos Agricultores, Pecuaristas e Produtores da Terra

Que tal fecharmos o INCRA e a Justiça do Trabalho? – por Jeferson Rocha

Que tal fecharmos o INCRA e a Justiça do Trabalho? – por Jeferson Rocha

Por Jeferson Rocha

Numa das áreas mais nobres da Grande Florianópolis – a avenida Beira Mar de São José – temos dois grandes paquidermos inúteis: o INCRA e a Justiça do Trabalho.  E se extinguíssemos o INCRA e a JUSTIÇA DO TRABALHO?
Você já se deu conta do tamanho da economia que faríamos aos pagadores de impostos? Só no ano de 2016, a Justiça do Trabalho custou a União R$ 17 bilhões, e devolveu aos trabalhadores R$ 8 bilhões. Ou seja, para alimentar a própria máquina da Justiça do Trabalho gastamos mais do que o dobro do que o valor das ações trabalhistas pagas neste mesmo período. “Hoje a Justiça trabalhista gasta 90% do orçamento com os salários de seus 3,5 mil juízes, mais os desembargadores de suas 24 regiões, mais os ministros do seu “Tribunal Superior do Trabalho”, mais os carros com chofer”, afirmou o jornalista J R. Guzzo. Para ser mais preciso, de acordo com o Conselho Nacional de Justiça, 93,5% dos recursos da Justiça do Trabalho servem para pagar a folha de pagamento. A Justiça do Trabalho tem 56.3 mil servidores; assim, fazendo uma conta simples, descobrimos que na média cada um desses funcionários custa 302 mil ao ano. Isso significa que a média salarial na Justiça do Trabalho é de R$ 23 mil, algo bem acima do que se paga na iniciativa privada.  É uma estrutura que beneficia os que lá trabalham e ganham elevadíssimos salários, muito mais altos do que os pagos pela iniciativa privada. Não é moral que o trabalhador comum continue pagando essa conta.
No final de julho deste ano, o impostômetro apontou uma arrecadação de 1,4 trilhões de reais em tributos à União. Está na hora de reduzirmos o tamanho desse paquiderme chamado Estado Brasileiro!
O INCRA é outra aberração sem uma real função benéfica. Na prática, nas últimas décadas, o INCRA é o apoio estatal às ações criminosas do MST. Só com a extinção do INCRA nós eliminaríamos um tributo que representa 0,2% de toda a folha de salários dos empresários urbanos e rurais brasileiros. Está na hora de REDUZIRMOS a máquina estatal e cortarmos os tributos.
Confira meu comentário em vídeo sobre isso: