Associação Nacional de Defesa dos Agricultores, Pecuaristas e Produtores da Terra

PEC da Previdência: Andaterra rejeita nova tentativa de taxar exportações do agro

PEC da Previdência: Andaterra rejeita nova tentativa de taxar exportações do agro

A Andaterra – coordenadora nacional do movimento Brasil Verde e Amarelo, o agro em defesa das reformas –considera inadmissível a nova tentativa de taxar as exportações do agronegócio por meio da reforma previdenciária. A proposta já havia sido retirada do relatório da PEC da Previdência aprovado pela Câmara. No entanto, foi reincluída pelo relator do texto no Senado, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Jeferson Rocha (E), da Andaterra, e Jerônimo Goerden: Setor agrícola precisa se mobilizar para retirar proposta de Jereissati a taxação das exportações

Jeferson Rocha (E), da Andaterra, e Jerônimo Goerden: Setor agrícola precisa se mobilizar para retirar proposta de Jereissati a taxação das exportações

“Vamos atuar forte no Senado para aprovar um destaque supressivo e retirar esse item do relatório”, disse ao AGROemDIA, nesta quarta-feira (28), o diretor jurídico da Andaterra, Jeferson Rocha. Segundo ele, a entidade, em articulação com o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), já começou a mobilizar os diferentes setores do agro para eliminar a proposta do texto do Senado.

Em nota, Jerônimo também reagiu à possibilidade de taxação das vendas externas de produtos agrícolas. “Não é possível que o Senado cometa um erro tão grave, de retirar competitividade das nossas empresas no exterior. Isso atinge toda a pauta comercial brasileira, não somente os produtos agrícolas.”.

O parlamentar alertou o senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), membro da Comissão de Agricultura do Senado, sobre a necessidade de excluir a proposta do relatório de Jereissati. “Falei com o senador Luis Carlos Heinze sobre a importância de ele liderar uma ampla reação”.

Para Jerônimo, esse é um assunto para ser analisado na reforma tributária, e não na PEC da Previdência. “Na Câmara, este item foi derrotado por meio da apresentação do destaque 142 na Comissão Especial, que contou com o apoio decisivo do líder dos Progressistas, Arthur Lira, que articulou a reação em nome do Bloco PP-MDB-PTB”.

Cálculos preliminares do governo federal apontam para uma arrecadação extra de R$ 8 bilhões/ano com a cobrança previdenciária nas exportações.

Fonte: Agro em Dia