Associação Nacional de Defesa dos Agricultores, Pecuaristas e Produtores da Terra

CORONAVÍRUS: suicídios aumentam por causa da quarentena

CORONAVÍRUS: suicídios aumentam por causa da quarentena

Por Louise Ayling, para o Daily Mail Austrália

Tradução de Thiago Vieira, edição de Antonio Pinho

Há temores de que as taxas de suicídio possam aumentar em cerca de 50% na Austrália devido aos impactos das restrições ao coronavírus.

Novas pesquisas preveem 1500 mortes a mais por suicídio em todo o país nos próximos cinco anos, como resultado das consequências econômicas do coronavírus.

A modelagem do Brain and Mind Center, da Universidade de Sydney, descobriu que a taxa de mortes ligadas ao suicídio seria mais de quatro vezes maior do que o número de mortes causadas diretamente pelo coronavírus, The Astralian.suicidio

A modelagem inicial prevê um salto de 25% nos suicídios, com base em uma taxa de desemprego de 10%.

Mas, se a perda de empregos fizer com que o desemprego atinja 15%, a taxa de suicídio poderá aumentar em 50%.

Cerca de 3000 mortes são causadas por suicídio a cada ano na Austrália.

O ministro federal da saúde, Greg Hunt, foi informado sobre a pesquisa e apresentará a modelagem ao gabinete nacional na próxima semana.

No dia 29 de março o governo federal anunciou um aumento de US $ 74 milhões nos serviços de apoio à saúde mental.

Na época, serviços de apoio ao suicídio, como a Lifeline, já relatavam um aumento de 20% no volume normal de chamadas.

A nova pesquisa levou as principais autoridades de saúde a pedir uma abordagem mais coesa para lidar com as preocupações em torno de uma crise de saúde mental ligada diretamente à pandemia.

Os pesquisadores dizem que os jovens serão os que mais sofrerão, bem como as pessoas nas comunidades regionais, que já sofreram uma desaceleração econômica ligada aos incêndios, às secas e às inundações.

A modelagem revela que a taxa anual de suicídios pode subir de 3000 para 4500 – e os suicídios de jovens representariam quase metade desses números.

O ex-comissário de saúde mental e chefe do Brain and Mind Center, Ian Hickie, disse que a Austrália ainda não viu os piores impactos de uma crise econômica mundial.

“O que acontece nas recessões, e sabemos disso pela crise financeira global de 2009, pela crise financeira asiática e pela Grande Depressão, é que as taxas de suicídio aumentam dramaticamente na recessão… e elas ferem mais os jovens… podemos assistir e ver isso acontecer… ou podemos avançar na curva”, disse o professor Hickie.

Os impactos do desemprego serão maiores entre os jovens, aqueles que vivem na zona rural e regional da Austrália e as áreas mais afetadas pela perda de empregos não se recuperarão rapidamente.

“À medida que as restrições ao distanciamento e isolamento físico são atenuadas, o sistema de saúde mental da Austrália, já mal projetado e com poucos recursos, deve ser urgentemente equipado com a capacidade de responder ao influxo esperado na demanda por serviços”, disse ele.

A Associação Médica Australiana está apoiando os pedidos de ações urgentes para lidar com problemas de saúde mental causados pela Covid-19, que podem causar mais mortes na Austrália do que o próprio vírus.

Link da reportagem original em: https://www.dailymail.co.uk/news/article-8293233/Far-people-Australia-predicted-die-suicide-coronavirus-lockdown.html

Andaterra imagem associe-se